Hipnose é uma técnica natural utilizada por profissionais especializados que induzem o paciente a um estado de consciência alterado (transe), ou seja, um estado de consciência especial entre o sono e o estado acordado, onde se obtém um acesso direto ao seu inconsciente, essa parte de nossa mente que não damos conta, mas que tem absoluta influência em nossas atitudes, bem como no funcionamento do nosso organismo. Tem como finalidade programar a mente para obter uma resposta desejada ou interpretá-la, atingindo um entendimento mais abrangente de sua dinâmica.

Na hipnose a pessoa induzida não está dormindo, tampouco apresenta perda de consciência. Em verdade, acontece justamente o oposto: a pessoa em transe se encontra em um estado de “hiper-consciência”, pois está com a mente totalmente focada em algo.

O transe hipnótico não apresenta nenhum perigo de lesão física ou mental, trazendo, ao contrário, benefícios à saúde do indivíduo apenas pelo fato de experimentar um estado de relaxamento profundo.

Todos, sem exceção, são capazes de entrar num estado de transe hipnótico, inclusive, vivenciamos esse estado de forma natural todos os dias ao adormecer e acordar, pois, do estado de vigília ao estado de sono fisiológico passa-se pelo estado de transe e vice-versa. Experimentamos esse estado alterado de consciência também quando estamos muito concentrados, absortos em alguma atividade, como no cinema, televisão etc.

A Hipnose Clínica é o uso da hipnose na área da saúde. Atualmente, esta prática acontece legalmente na área da Psicologia (Hipnoterapia), da medicina (Hipniatria) e da odontologia (Hipnodontia).

Na Psicologia, a Hipnose é praticada no tratamento de perturbações psíquicas e psicossomáticas, possibilitando um acesso profundo e rápido ao inconsciente, descobrindo e tratando as causas, ou permitindo o controle de sintomas como: ansiedades, fobias, depressão, estresse, estresse pós-traumático, angústias, síndrome do pânico, transtorno-obsessivo-compulsivo, doenças psicossomáticas (alergias, gastrite, enxaqueca…) e outros.

Na medicina, a hipnose tem-se mostrado de grande utilidade na preparação emocional dos pacientes para determinados procedimentos como exames, cirurgias e na recuperação pós-cirúrgica, bem como servindo de complemento ou, em alguns casos, substituindo os anestésicos químicos. A hipnose também se mostra bastante especial em casos de dores crônicas e agudas com a hipnoanalgesia.

Na odontologia, além dos exemplos já apresentadas acima, temos a aplicação da hipnose com resultados impressionantes em casos específicos da área, como controle da salivação ou do sangramento, controle do reflexo nauseoso, anestesia, analgesia, controle da fobia ao tratamento odontológico, entre outros, bem como oferecendo conforto ao paciente durante longos procedimentos. Em casos de problemas odontológicos de fundo emocional, como bruxismo e DTM, a hipnose tem apresentado resultados bastante satisfatórios atestados tanto pelos dentistas como pelos psicólogos.

A hipnose clínica está em constante desenvolvimento, apresentando sempre inovações voltadas para a sua atuação complementar na área da saúde.